​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​
  ​​​​​​​​​ Notícias
linha2.png


PRESIDENTE ARSESP E REPRESENTANTES PARTICIPARAM DA RIO WATER WEEK

(06/12/2018) O presidente da Arsesp, Hélio Castro, foi palestrante no segundo dia da Rio Water Week, evento promovido pela ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, que ocorreu no Riocentro, na cidade do Rio de Janeiro, entre 26 e 28 de novembro. Inédito no país, o evento recebeu cerca de 2 mil pessoas nas diversas sessões temáticas que fizeram parte da extensa programação.

Com mais de 100 palestrantes e 60 convidados internacionais, a Rio Water Week, evento que já ocorreu em outros países, como Suécia e Cingapura, reuniu profissionais internacionais, comunidade acadêmica, especialistas e organizações internacionais para discutir a água em sua concepção mais ampla, abordando desafios, políticas públicas e soluções e tecnologias existentes no Brasil e em todo o mundo.

Hélio Castro se apresentou no dia 27 de novembro, na Sessão 731, com o tema Interface da Regulação e Atores. O painel tratou da troca de experiências internacionais sobre o processo de capacitação dos agentes do setor de abastecimento de água e esgotamento sanitário em temas relacionados à regulação técnica e econômica, visando compreender os fundamentos básicos e identificar os benefícios da boa regulação para a sociedade, para o poder concedente e para o prestador de serviços. Hélio mostrou como foi estruturado e como está sendo desenvolvido o projeto de Benchmarking Colaborativo, juntamente com a ABAR – Associação Brasileira de Agências Reguladoras. O projeto pretende reunir as melhores práticas do processo de fiscalização em empresas de saneamento, com participação de 7 agências nacionais e duas do exterior, Portugal e Chile. Estiveram neste painel como moderadora, Marisa Guimarães – ABES; e palestrantes: Carolina Latorre, IWA Frederico TUROLLA / FGV; Jaime Melo Baptista, LIS Water; Ashley Brown, Harvard Kennedy School; e Claudio Ternieden, WEF.

Camila Elena Muza Cruz, Superintendente de Análise Econômico-Financeira, participou do painel 721 e falou sobre Tarifa Média dos Serviços de Água e Esgoto e Metodologia da Arsesp para Definição da Tarifa Média. Luiz Antonio Oliveira Jr., Especialista em Regulação e Fiscalização de Serviços Públicos, um dos organizadores nos painéis sobre “Regulação” do evento apresentou no painel 722 o tema: Subsídios Tarifários e a Contribuição da Regulação para Atingimento dos ODS 6.

O ODS 6 é um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pelos países membros das Nações Unidas que formam a Agenda 2030 e visa para erradicar a pobreza, proteger o planeta e garantir que as pessoas alcancem a paz e a prosperidade.

Conheça o ODS 6:

Objetivo 6. Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos

6.1 Até 2030, alcançar o acesso universal e equitativo a água potável e segura para todos

6.2 Até 2030, alcançar o acesso a saneamento e higiene adequados e equitativos para todos, e acabar com a defecação a céu aberto, com especial atenção para as necessidades das mulheres e meninas e daqueles em situação de vulnerabilidade

6.3 Até 2030, melhorar a qualidade da água, reduzindo a poluição, eliminando despejo e minimizando a liberação de produtos químicos e materiais perigosos, reduzindo à metade a proporção de águas residuais não tratadas e aumentando substancialmente a reciclagem e reutilização segura globalmente

6.4 Até 2030, aumentar substancialmente a eficiência do uso da água em todos os setores e assegurar retiradas sustentáveis e o abastecimento de água doce para enfrentar a escassez de água, e reduzir substancialmente o número de pessoas que sofrem com a escassez de água

6.5 Até 2030, implementar a gestão integrada dos recursos hídricos em todos os níveis, inclusive via cooperação transfronteiriça, conforme apropriado

6.6 Até 2020, proteger e restaurar ecossistemas relacionados com a água, incluindo montanhas, florestas, zonas úmidas, rios, aquíferos e lagos

6.a Até 2030, ampliar a cooperação internacional e o apoio à capacitação para os países em desenvolvimento em atividades e programas relacionados à água e saneamento, incluindo a coleta de água, a dessalinização, a eficiência no uso da água, o tratamento de efluentes, a reciclagem e as tecnologias de reuso

6.b Apoiar e fortalecer a participação das comunidades locais, para melhorar a gestão da água e do saneamento



Fonte: Comunicação Abes/Arsesp/ONU​


ctregulacao-3 (1).jpg

8f067797-dfe1-4af1-8957-b7da0386ac6f.jpg31218c7b-39e6-444e-86d6-d96b48db4a58.jpg





Voltar